13 abril 2013

Posted by Nxzero Nunes | File under : , ,

Amargando a segunda divisão do Campeonato Brasileiro, a vida dos palmeirenses não tem sido fácil. Na Copa Bridgestone Libertadores, no entanto, o time está a caminho das oitavas de final e Di Ferrero estará na torcida. O cantor falou com exclusividade ao FOXSports.com.br sobre a relação com seu time do coração – e sobre as chantagens que “sofreu” para trocar o Verdão pelo Tricolor.





Nascido no Mato Grosso do Sul, Diego vem de uma família dividida entre são-paulinos e palmeirenses.“Quando eu era pequeno, meu avô deu camisetas do São Paulo para meu irmão e o resto da família, que eram palmeirenses, para convencê-los a trocar de time. Eu comecei a chorar porque queria os presentes (bola e camiseta), mas não ia trocar de time. Falei com meu pai e ele deu uma bronca no meu avô. Essa é a minha primeira lembrança de ser palmeirense”. 
Para Diego, o jogo mais marcante de sua vida foi a conquista da Libertadores de 1999:“Eu não consegui ingresso para essa final. Eu estava passando muito mal de nervoso, tive que ir tomar um banho durante o jogo e o Palmeiras foi campeão enquanto eu estava no chuveiro. Tinha uma galera em casa, meus primos, todos palmeirenses. Eu estava sem unha, foi complicado”. 
A presença do cantor em estádios era constante:“Tinha uma época em que eu ia bastante. Cheguei a ir para o interior assistir jogo, eu estava bem viciado”. 
Em uma dessas viagens para assistir a um jogo do Campeonato Paulista, foi obrigado a escutar o jogo pelo rádio.“O pneu do carro furou, começou a atrasar, colocamos o step e continuamos,  mas aí o step furou. A gente já não tinha mais como chegar lá, então escutamos pelo rádio, na estrada, dentro do carro”.
Sobre o desempenho do Palmeiras nesta edição da Libertadores, Diego diz que ficaria surpreso com o título: “Mas eu não consigo deixar de não acreditar no time”. Ele ainda apontou algumas questões internas do clube:“As coisas estão mudando, a administração do clube está mudando. Eu acredito no Palmeiras e seria marcante se chegasse até as quartas ou semi-final. A gente está em uma época de reformulação, daqui a uns dois anos vai dar um bom resultado”. 
Em agosto de 2014, o Palmeiras completa 100 anos. Para Diego, não há duvidas :“Com certeza no centenário estaremos na primeira divisão. Já passamos por isso em 2003. Depois que conseguimos subir, foi muito bom. Eu me lembro do Vágner Love jogando, ele fez uns 30 gols, e o time voltou com animo.”

0 Comentários:

Postar um comentário